Projeto Mala/Bolsa Pessoal

Partindo do pressuposto “fazer muito com pouco” foi proposto a elaboração de uma mala/bolsa pessoal tendo como objetivo a satisfação das necessidades para o utilizador final do objeto, tanto a nível funcional, como formal.

Fase 1 – Escolha de 3 funcionalidades possíveis para o objeto.

Numa primeira fase foram consideradas três funcionalidades possíveis para o objeto do projeto a elaborar.

1. Uma mala/bolsa pessoal para transportar cd´s (atividade de DJ)

2. Uma mala/bolsa pessoal para transportar facas ou outros utensílios usados no meu trabalho diário num talho.

3. Uma mala/bolsa pessoal para transportar os conteúdos das aplicações multimédia do projeto RBX em DVD (marca desenvolvida para o primeiro trabalho desta unidade curricular para o qual foi elaborado a criação de um logótipo e cartão de apresentação).

Fase 2 – Foi realizada pesquisa e elaboração do seu dossier digital sobre essas funcionalidades. A pesquisa efectuada teve em consideração pontos como: modelos com as mesmas funcionalidades, materiais, preços, formas, tendências e preços.

Fase 3 – Elaboração de desenhos sobre os possíveis modelos a criar, escolha e justificação do objecto.

imagea) O primeiro conceito tinha como objetivo o transporte de cd´s, deveria ser constituído por dois discos de vinil que protegeriam os cd´s a transportar, na qual estes seriam seguros por um suporte das caixas de cd´s que seriam aplicados aos discos de vinil. Este objeto teria como suporte uma alça que ligaria os dois discos. O conceito deste objeto surge da fusão entre o velho e o “novo”, os discos de vinil e os cd´s. A sua funcionalidade está ligada à minha atividade (atualmente em stand-by) de DJ, fazendo por isso todo o sentido a criação de algo parecido.

Este projeto foi entretanto abandonado, em virtude de, depois de efetuada a pesquisa, a constatação de que existem inúmeras criações com a utilização de discos de vinil, e que, de original este projeto teria pouco.

imageb) O segundo conceito abordado foi o da ligação da marca criada no projeto anterior com o atual. Para isso foi equacionado o modo de transporte das aplicações da

Numa primeira fase deste conceito foi considerado a criação e uma embalagem em cartão para o transporte de DVD´s um pouco diferente do habitual, utilizando para isso espaços transparentes que permitissem ver o DVD no seu interior. Esta embalagem seria suportada por duas alças, uma mais pequena na parte superior, e uma outra maior que seria decorada com os dígitos (000111).

Esta ideia passou depois, para um conceito de transporte de Hardware, que deixava uma abertura na embalagem para a passagem de um cabo de ligação. Tal como a anterior esta seria suportada por uma alça decorada com os dígitos (000111).

c) Abandonando o conceito de embalagem com alças, o ultimo conceito abordado passou a ser a elaboração de uma bolsa lateral para o transporte de um disco rígido de dados com as aplicações da Marcaimage.

imageFase 4 – Depois de escolhido o projeto a realizar, iniciou-se a escolha de materiais a utilizar e ao método de estrutura, para a melhor construção do projeto.

Partindo sempre do pressuposto “fazer muito com pouco” e tendo como objectivo fazer uma bolsa em pele, houve a necessidade de procurar matéria reciclável.

Aproveitando as sobras e desperdícios ou materiais já utilizados, de uma oficina de estofador, escolheu-se o tipo de pele a utilizar estando sempre presente o “bom gosto do criador”. Teve-se em conta as medidas dos discos rígidos determinando assim a quantidade das peles a utilizar. Com a Ajuda de um X-ato realizou-se os cortes necessários.

O passo seguinte foi fazer a perfuração da marca na pele. Para tal recorreu-se a uma imagem com as medidas pretendidas fixada à pele e com a ajuda de um vazador, martelo e uma tabua de madeira que foi colocada por debaixo da pele a fim de facilitar a perfuração, realizou-se a tarefa pretendida.

Foram ainda recortadas duas aberturas para passar o cinto, na pele situada na parte detrás da bolsa.

Findo o trabalho possível por parte do autor desta bolsa houve a necessidade de recorrer novamente ao estofador para que numa máquina industrial se pudesse proceder a cosedura entre peles nos locais indicados pelo projetista.

http://files.flipsnack.net/app/swf/EmbedCanvas.swf?hash_id=f52009e8c4565663cabb2e97e2q92198&t=1307399542

To view this flipping book you need to have Flash Player 9 or newer installed and JavaScript enabled. Flipsnack is a flash video player that allows you to create stylish flipping books out of your PDF document.

Neste processo por indicação do autor efetuou-se de modo a que a costura entre peles da pele amarela ficasse para dentro, ou seja a peça foi virada depois de cozida.

Resultado da cozedura em máquina industrial

Fase 5 – Na fase seguinte por procedeu-se à construção de um receptáculo em cartão para conferir uma maior estabilidade e maior proteção aos discos rígidos a transportar.

Fase 6 – Depois de inserido o receptáculo na bolsa passou-se à verificação do cumprimento das funcionalidades da bolsa para o transporte do disco rígido.

Verificados os pontos anteriores procedeu-se ao acabamento da bolsa com a aplicação do velcro para uma melhor sustentabilidade e aconchego ao cinto por parte da bolsa

Fase 7 – Depois de terminado a execução da bolsa de transporte para um disco rígido procedeu-se à reprodução do modelo em 3D na aplicação Google SkethUp do qual são reproduzidas duas fotos:

Fase 8 – Finalmente a construção da promoção e elaboração do slogan para o objeto criado.

O slogan recaiu na escolha “ Transportamos conhecimento” em detrimento de “ transferimos conhecimento” que também foi considerado porque considero que a palavra “transportamos” está intimamente ligada á finalidade da própria bolsa que é exatamente o transporte de um disco rígido. A palavra transferimos por outro lado está mais associada à função do disco rígido.

Por outro lado, “conhecimento” é aquilo que é transportado (Produções de aplicações e conteúdos multimédia da marca, no interior do disco.

Custos de Produção:

Matéria prima – O material do objeto criado para o projeto foi aproveitado de sobras e desperdícios de peles de uma oficina de Estofador. Como tal o seu preço foi zero. As ferramentas utilizadas para a preparação do projeto já faziam parte das minhas ferramentas pessoais, com a exceção do vasador, o qual foi emprestado por um amigo, o que resultou novamente em custo zero.

A folha impressa com a imagem da marca e a fita-cola necessária para fixar a folha à pele teve um custo de 0.10 €

O cartão utilizado para produzir o habitáculo para o disco rígido foi também aproveitado de sobras de outros projetos e como tal foi-lhe também atribuído um valor de 0€

Custos de Montagem: Nesta fase foi necessário recorrer aos serviços do estofador para coser o objecto, sendo que a sua duração foi de aproximadamente 3 a 4 minutos o levou a um encargo de 2 €.

O velcro usado teve um custo de 0.75€

O tempo de montagem por parte do autor do projeto rondou as 3 Horas, com um preço de 7,5€ o que perfaz um total de 22,5€

Tempo de montagem 22,50
Velcro 0,75
cosedura 2
fotocopia 0,10
Total 25,60

O preço eventual de uma produção em massa e partindo do mesmo principio de aproveitamento de materiais utilizados, o preço baixaria consideravelmente nomeadamente com a optimização da montagem e consequentemente redução do tempo de execução.

O tempo de duração da criação do modelo 3D foi de aproximadamente 3 horas.

O tempo da preparação, tratamento e escolha de imagens para a campanha publicitária foi de aproximadamente 4 a 5 horas.

A execução de material de suporte multimédia (PowerPoint, SlideShows, Flipbook, etc) 3 a 5 Horas.

Relatório 3 horas

Custo de Mercado de produtos similares:

12,99€ 16€ 20€

O relatório deste projeto é ainda complementado em anexos digitais, com um Power Point , um PDF com a reprodução do Powerpoint, um PDF com a reprodução deste relatório, um slideshow em PhotoPeach, um FlipBook em FlipSnack, um ficheiro SkeSketchUP com o modelo 3D e um filme que reproduz a criação 3D a partir do YouTube.

Uma pasta com todas as imagens criadas na elaboração do Projeto.

Docente: Sílvia Castro

Discente: Rui Bexiga

,

  1. Deixe um comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: